As origens da celebração do Carnaval

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

O Carnaval é uma festa popular que remonta à antiga Grécia, Itália e Mesopotâmia.

O nome Carnaval deriva do latim carnis levale, que significa retirar a carne, porque imediatamente a seguir a esta festa entra o período da Quaresma, 40 dias de sacrifício em que é suposto renunciar à carne e aos prazeres mundanos.

A origem do Carnaval tem marcadamente origem pagã e poderá estar ligado a várias celebrações locais. As Saceias, na antiga Babilónia, onde um prisioneiro assumia o lugar do Rei durante 5 dias, sendo chicoteado e morto no final. Ainda na Babilônia, realizava-se a celebração da chegada do Ano-novo, em Março, no equinócio da primavera. Esta festa durava quatro dias e nela o Rei era despojado da sua autoridade e humilhado. O Rei tinha então que declarar não ter abusado do seu poder, sendo de seguida coroado novamente.

Em Roma celebravam-se as Saturnais, festas dedicadas a Saturno, a divindade da sementeira e da colheita. Realizavam-se aquando do solstício de Inverno e duravam uma semana. Também aqui se verificava a inversão de papéis, em que os senhores envergavam os gorros dos escravos e os serviam.

Na Assíria havia a festa de Isis, a divindade egípcia. Celebrava-se em março com uma procissão onde todos se mascaravam.

Ainda a festa judaica, o Purim, que parece ter a sua origem na antiga Mesopotâmia e que celebra a salvação dos judeus de Haman, o primeiro-ministro do Rei da Pérsia.

A Igreja Católica tentou banir estas celebrações, porque as consideravam demoníacas. No entanto, mais tarde, quando percebeu que não iria ter sucesso ao bani-las, aproveitou então para enquadrá-las no seu calendário e adaptá-las. No século VIII, foi instituído o período da quaresma e estas festas passaram a ser realizadas nos ias que a antecediam. Foi uma forma que a Igreja Católica encontrou para permitir que as pessoas cometessem excessos antes do período de jejum que se seguia.

Share.

Leave A Reply