O estranho desaparecimento e morte da família Jamison

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

O dia 8 de outubro de 2009 ficou marcado como o dia do desaparecimento de uma família inteira em Eufaula, no estado de Oklahoma, nos Estados Unidos da América.

Situada no Condado de McIntosh, Eufaula é uma pequena cidade cheia de história, que se ergueu nas margens do languido lago que lhe deu o nome. Com menos de 3000 habitantes, é uma cidade calma e procurada por turistas que pretendem usufruir da sua tranquilidade e da natureza da sua envolvência.

Rua principal de Eufaula | Crédito da imagem: www.city-data.com

Mas o que terá levado ao desaparecimento  desta família de três elementos, tem ao longo dos anos intrigado as autoridades, continuando a ser um mistério até aos dias de hoje.

O desaparecimento do pai, Bobby Dale Jamison, da sua esposa Sherilyn Leighann Jamison e da filha de ambos, Madyson Stormy Star Jamison, de apenas 6 anos de idade, ocorreu de forma inigmática e inexplicável no dia 8 de outubro de 2009, quando, supostamente se dirigiam para Red Oak. Nunca mais regressaram…

A família Jamison. Fonte da imagem: facebook/findthejamisons

No início, a linha de investigação da polícia ia no sentido de a família ter desaparecido por sua própria vontade. No entanto, no decorrer da investigação foram sendo descobertos alguns factos que contradisseram essa ideia inicial.

Antes de mais, tudo leva a crer que pai, mãe e filha desapareceram ao mesmo tempo.
A carrinha da família foi encontrada abandonada uns dias depois do desaparecimento, perto da cidade de Kinta, no Condado de Latimer, a cerca de 55 km de Eufaula. Embora os seus corpos continuassem desaparecidos, o cão da família, Maisy, estava no interior do veículo, em muito mau estado devido à  falta de comida e água. Na carrinha, também encontraram os documentos de identificação dos pais, o sistema GPS, os seus telemóveis, uma carta de Sherilyn para Bobby e cerca de 32.000 dólares americanos.

A carrinha da família como foi encontrada

A polícia assumiu inicialmente que a família se perdera no caminho. No entanto, depois de verificarem o GPS encontrado no veículo, descobriram que a família se deslocou a outros locais nas imediações, onde conseguiram até descortinar pegadas por eles deixadas. Ao seguirem esse rasto concluíram que a  última fotografia tirada a Madyson (a filha), encontrada no telemóvel de Bobby, terá sido junto a uma rocha, justamente no local onde encontraram as pegadas. A família terá então regressado ao veículo e o que aconteceu depois permanece um mistério.

A operação de busca realizada pela polícia local após a descoberta do veículo, envolveu cerca de 100 homens, cães pisteiros, cavalos e um drone.

Última fotografia tirada a Madyson

Alguns familiares que conheciam bem Madyson, afirmam que, nesta fotografia, a menina mostra uma expressão de angústia e medo, o que faz pensar em teorias como rapto e homicídio. E atendendo a que se trata da última fotografia conhecida da menina no local ou perto do local do seu desaparecimento, a família pensa que terá sido tirada pelo seu homicida.

O facto de a família se ter deslocado por aquela área não causou estranhza porque, pelo que a polícia entretanto descobriu, o casal pretendia comprar um lote de terreno na montanha em Red Oak, a cerca de 83 km de distância, e este seria um dos caminhos possíveis para se deslocarem até lá.

Ao longo da investigação foram sendo apurados alguns factos sobre a família desaparecida. Sabe-se por exemplo que Bobby teve uma contenda em tribunal com o seu pai, Bobby Dean Jamison, relacionada com o dinheiro de um negócio de uma bomba de gasolina. No entanto, esta pista possível foi abandonada pela polícia, que concluiu que o seu pai não estava envolvido no desaparecimento da família.

A polícia apurou também, depois de falar com membros da família, que Sherilyn tinha uma arma de fogo, contudo, essa arma nunca foi encontrada.

Um outro facto relevante é que Sherilyn foi diagnosticada com bipolaridade, sofrendo de episódios maníacos ocasionais.

Duas semanas depois do desaparecimento, em 23 de outubro, a polícia apurou que a família tinha câmaras de segurança que apontavam para a entrada da casa. O vídeo mostra os pais a prepararem a carrinha para a saída para Red Oak, mas a análise forense foi capaz de mostrar que nas mais de 20 deslocações que fizeram ao carro, Bobby e Sherilyn, nunca interagiram entre eles, aparentando estar numa espécie de transe, talvez relacionada com a toma de drogas. Neste espaço de tempo, é possível ver Madyson a brincar.

Imagem retirada da gravação de vídeo-vigilância dos Jamison no dia do seu desaparecimento

Para acrescentar ainda uma certa dose de misticismo ao seu já estranho desaparecimento e morte, o casal apresentava já há algum tempo um comportamento algo estranho, tendo até desabafado com o pastor da sua igreja, mais do que uma vez, que a sua casa teria espíritos. É talvez por esse facto, que a mãe de Sherylin, Connie Kokotan, acredita que a sua família foi morta por membros de um culto violento. Connie defende também que a sua família não estava envolvida no negócio de drogas, nem tão pouco com bruxaria, como chegou a ser defendido depois de a polícia encontrar em sua casa um livro sobre feitiçaria.

De acordo com o que a polícia apurou, era também do conhecimento geral  que esta família costumava transportar consigo grandes quantias de dinheiro, o que poderia ser o móbil do crime cometido. Contudo, o facto de este dinheiro ter sido deixado para trás, levou as autoridades a repensar essa ideia.

Quer a polícia local, quer o FBI têm, ao longo da investigação, interrogado potenciais testemunhas e seguido todas as pistas que encontraram, no entanto, até à data não prenderam ninguém nem têm qualquer suspeito relacionado com o caso.

Ao longo dos anos outras teorias foram lançadas para tentar justificar o desaparecimento e morte da família, contudo, até agora, a polícia não conseguiu provar nenhuma:

  • A teoria de que a família foi morta pela sua ligação ao tráfico e consumo de drogas. Antes de desaparecer, o casal terá emagrecido e teria um aspeto macilento, próprio de pessoas que consomem drogas. Tendo em conta também o comportamento do casal na gravação da vídeo-vigilância e a quantidade de dinheiro encontrada no carro, tudo leva à ideia de que o casal terá sido morto por um negócio relacionado com drogas que correu mal.
  • Uma outra teoria será a de homicídio-suicídio. Ambos os elementos do casal sofriam de depressão, mas a doença de Sherilyn terá sido agravada pela morte da irmã em 2007. Esta teoria defende que Bobby ou Sherilyn ter-se-ão morto um ao outro, a filha, tendo depois cometido suicídio.
  • Uma outra hipótese é de que a família se perdeu naquela área remota e morreu de hipotermia. Contudo, esta teoria não explica porque deixaram o cão para trás, no interior do carro. Madyson andava sempre com o seu cão.

O que é certo é que, até este momento, tudo não passa de teoria, não existindo provas de nada. As circunstâncias do seu desaparecimento continuam a ser um mistério.

Bobby, Sherilyn e Madyson Jamison. Créditos da fotografia: Tulsa World

Os corpos foram encontrados apenas 4 anos depois do seu desaparecimento, por dois caçadores de veados, e a menos de 5 km de distância do local onde havia sido encontrada a carrinha. Estavam voltados com a cara para baixo e alinhados e num tal estado de decomposição, que impediu a sua identificação visual. Os exames forenses concluíram que os corpos eram, de facto, da família Jamison, mas não conseguiram determinar a causa das suas mortes.
Atendendo à proximidade do local onde a carrinha foi encontrada, não se entende porém que os corpos não tenham sido encontrados na mesma altura pela polícia.

Sherilyn deixou um filho, Colton Mangum, fruto de um primeiro relacionamento que tivera antes de casar com Bobby e que, há data do seu desaparecimento viveria com o pai.

Passados tantos anos, o intrigante caso do desaparecimento e morte desta família de três continua a estar envolto em mistério e longe de ter um fim.

 

 

Share.

Leave A Reply